CÃO DE ÁGUA PORTUGUÊS

ORIGEM

Portugal.

DATA DE PUBLICAÇÃO
DO ESTALÃO DE ORIGEM EM VIGOR

04-11-2008.

UTILIZAÇÃO

Companheiro na faina da pesca e no cobro e cão de companhia.

CLASSIFICAÇÃO F.C.I.

Grupo 8 – Cães Cobradores e Levantadores de Caça e Cães de Água.
Secção 3 – Cães de Água.
Sem prova de trabalho.

BREVE RESUMO HISTÓRICO

Em épocas muito remotas o Cão de Água existiu em todo o litoral português. Entretanto, devido à moderniza ção contínua dos métodos de pesca, a raça não se encontra só no Algarve que é tido como a sua região berço. A sua presença nas costas de Portugal
re monta a épocas muito longínquas, e de ve-se considerar como uma raça por tuguesa autóctone.

ASPECTO GERAL E APTIDÕES

Cão de proporções médias, de silhueta convexilínea a rectilínea, de tipo bracóide. Harmónico nas suas proporções, bem equilibrado, robusto e bem musculado. O seu desenvolvimento muscular, devido aos frequentes exercícios de natação, é apreciável.

PROPORÇÕES IMPORTANTES

De forma quase quadrada, o comprimento do corpo é aproximadamente igual à altura ao garrote. A relação altura ao garrote/altura do peito é de 2:1; a relação comprimento do crânio/chanfro é de 4:3.

COMPORTAMENTO / CARÁCTER

Animal de inteligência excepcional, compreende e obedece facilmente com prazer a todas as ordens do seu dono.
É impetuoso, voluntarioso, corajoso, sóbrio e resistente à fadiga. A sua expressão é severa e o seu olhar penetrante; possui uma excelente visão e olfacto.
Nadador e mergulhador excelente e resistente, é companheiro inseparável de pescadores aos quais presta inúmeros serviços não só na pesca, mas também como guarda e defensor dos seus barcos e dos seus bens.
Na hora da pesca, salta espontaneamente para o mar e mergulha se necessário para apanhar e trazer o peixe que escapou; age da mesma maneira quando uma rede se rompe ou uma amarra se solta. Este cão é também utilizado como agente de ligação entre o barco e a costa e vice-versa, mesmo a uma distância considerável.

CABEÇA

Bem proporcionada, forte e larga. Eixos crânio-faciais paralelos.

REGIÃO CRANIANA

Crânio: Visto de perfil é ligeiramente mais comprido do que o chanfro (4:3); é abaulado de uma maneira mais marcada na região occipital sendo a sua protuberância pronunciada. Vistos de frente os parietais são arredondados com uma ligeira depressão a meia
altura; o frontal é ligeiramente encovado, o sulco frontal prolonga-se até dois terços dos parietais; as arcadas supraciliares são proeminentes.
Stop: Bem marcado e colocado ligeiramente mais atrás do que o ângulo interno dos olhos.

REGIÃO FACIAL

Trufa: Larga, as narinas são bem abertas e bem pigmentadas. De cor preta nos exemplares de pelagem preta, branca e preta e branca. Nos cães de cor castanha, a cor do nariz corresponde à cor da pelagem mas não deve ser marmoreada.
Chanfro: Direito, mais largo na base que na extremidade.
Lábios: Espessos especialmente na parte da frente. Comissura não aparente. Mucosa bucal (céu da boca, debaixo da língua e gengivas) acentuadamente pigmentada de preto; de cor castanha escura nos cães dessa mesma cor.
Maxilas/Dentes: Maxilas fortes, dentes sãos não visíveis quando a boca está fechada. Caninos fortes e bem desenvolvidos. Articulação em tesoura ou em pinça.
Olhos: De tamanho médio, à flor da pele e arredondados. Bem afastados e ligeiramente oblíquos. A íris é de cor preta ou castanha. As pálpebras, de pele fina, são orladas de preto e castanho nos cães desta cor. A conjuntiva não é aparente.
Orelhas: Inseridas acima da linha dos olhos, são colocadas contra a cabeça, levantadas para trás e em forma de coração. Finas; a sua ponta não deve nunca ultrapassar o bordo da garganta.

PESCOÇO

Direito, curto, arredondado, bem musculado, bem lançado e de porte altivo, saída de pescoço harmoniosa.  Sem colar nem barbela.

TRONCO

Linha superior: Direita e horizontal.
Garrote: Largo e não proeminente.
Dorso: Direito, curto, largo e bem musculado.
Rim: Curto e bem unido à garupa.
Garupa: Bem proporcionada, levemente inclinada; ancas simétricas; garupa não proeminente.
Peito: Largo e profundo, atingindo o nível do cotovelo.
As costelas são compridas e bem arqueadas, proporcionando grande capacidade respiratória.
Linha Inferior e Ventre: De forma elegante e volume reduzido.

CAUDA

Inteira, de inserção média, espessa na base vai adelgaçando para a extremidade. O seu comprimento não deve ultrapassar o jarrete. Quando o cão está atento, a cauda enrola em forma de anel mas não deve ultrapassar o meio do rim. A cauda é um precioso auxiliar para nadar e mergulhar.

MEMBROS

MEMBROS ANTERIORES: Fortes e direitos. Bem aprumados.
Os metacarpos admitem-se ligeiramente inclinados.
Ombros: Bem inclinados de perfil e transversalmente.
A musculatura é fortemente desenvolvida.
Braços: Fortes e de comprimento médio. Paralelos à linha mediana do corpo.
Antebraços: Compridos e fortemente musculados.
Carpos: Forte ossatura, mais largos de frente do que de perfil.
Metacarpos: Compridos e fortes.
Mãos: Arredondadas e planas, os de dos não são muito arqueados, nem muito compridos. A membrana interdigital, que chega à ponta dos dedos é de textura flácida e bem fornecida de pêlos compridos. As unhas devem ser preferencialmente pretas mas, de acordo com a cor das pelagens, admitem-se unhas brancas, tigradas ou castanhas. As unhas não tocam o solo.
A almofada central é dura e espessa, as outras almofadas são de espessura normal.
MEMBROS POSTERIORES: Bem musculados e aprumados.
São admitidos metatarsos ligeiramente oblíquos.
Nádegas: Fortes e bem arredondadas.
Coxas: Fortes e de comprimento médio. Muito musculadas.
Joelho: Nem virado para fora nem para dentro.
Pernas: Compridas e muito bem musculadas. Nem viradas para dentro nem viradas para fora.
Bem inclinados da frente para trás. Os tendões e os ligamentos são sólidos.
Jarrete: Forte.
Metatarsos: Compridos. Sem presunhos.
Pés: Em tudo idênticos às mãos.

ANDAMENTOS

Movimentos desembaraçados, passo curto na marcha, trote ligeiro e bem cadenciado, galope enérgico.

PELE

Espessa, macia, mas não tensa, as mucosas internas e externas são, de preferência, bem pigmentadas.

PELAGEM

PÊLO: Todo o corpo se encontra abundantemente revestido de pêlo resistente, sem sub-pêlo. Há duas variedades de pelagem: uma comprida e ondulada e outra mais curta e encarapinhada. O pêlo comprido é um pouco lustroso e lanoso; o pêlo mais curto é denso, baço e forma mechas cilíndricas. À excepção das axilas e virilhas o pêlo é repartido de modo igual por todo o corpo.
Na variedade de pêlo comprido e ondulado, o pêlo forma uma espécie de carrapito ondulado sobre a cabeça; na variedade de pêlo mais curto, o carrapito é formado por pêlos encarapinhados. Na variedade de pêlo comprido, o pêlo é mais comprido nas orelhas.
COR: A pelagem é preta ou castanha nas diferentes tonalidades ou branco uniforme. Nos cães pretos ou castanhos, o branco é admitido no chanfro, no carrapito, no pescoço, no peitoral, no ventre, na extremidade da cauda, nas extremidades dos membros, bem como debaixo dos cotovelos e dos jarretes.
A pelagem branca não deve ser albina; por consequência, a trufa, as pálpebras e as mucosas bocais devem ser pigmentadas de preto e de castanho nos cães castanhos.
A tosquia parcial é típica para esta raça logo que o pêlo se torne muito comprido. Tosquiam-se estes cães atrás até meio do corpo bem como no chanfro e na cauda, deixando contudo um carrapito na ponta da cauda.

ALTURA E PESO

Altura ao garrote:
Machos: De 50-57 cm, altura ideal 54 cm.
Fêmeas: De 43-52 cm, altura ideal 46 cm.
Peso:
Machos: 19-25 kg.
Fêmeas: 16-22 kg.

DEFEITOS

Qualquer desvio em relação ao estalão deve ser considerado como defeito e penalizado de acordo com a sua gravidade e das suas consequências na saúde e bem-estar do cão.

DEFEITOS GRAVES

Cabeça: Muito comprida, muito estreita, plana ou afilada.
Chanfro: Muito afilado ou muito pontiagudo.
Olhos: Claros, muito proeminentes ou muito encovados.
Orelhas: Mal inseridas, muito grandes, muito curtas ou dobradas.
Cauda: Pesada, pendente em acção ou levada direita.

DEFEITOS ELIMINATÓRIOS (DESQUALIFICAÇÕES)

Comportamento: Agressivo ou demasiado tímido.
Tamanho: Muito grande ou muito pequeno.
Maxilas: Prognatismo superior ou inferior.
Olhos: Esbranquiçados, de forma ou de tamanho desigual.
Surdez: Congénita ou adquirida.
Cauda: Amputada, rudimentar de nascença, sujeitos anuros.
Pés: Existência de presunhos.
Pelagem: Pelagem diferente das normas fixadas pelo estalão.
Cor: Albinismo, trufa parcial ou totalmente despigmentada. Outra cor que não as fixadas pelo estalão.
Todo o cão que apresentar, de forma evidente, anomalias de ordem física ou comportamental deve ser desqualificado.
Nota: Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos no escroto.